Ações que salvam vidas: conheça o trabalho da Agência Transfusional da Santa Casa de Araras

A Agência Transfusional é o setor responsável por gerenciar todas as etapas de uma transfusão sanguínea. Na Santa Casa de Araras, a Agência Transfusional atua sob responsabilidade técnica do hematologista Dr. Rogério Jorge Castro, corresponsabilidade técnica da especialista em hematologia e hemoterapia Drª Ana Laura Martines Biaggio e gerência da farmacêutica bioquímica Fabiane Giorgiano, especialista em hemoterapia e banco de sangue.

Junto à gerente Fabiane, a equipe de funcionários da Agência Transfusional realiza o trabalho de controle de estoque e armazenamento de bolsas de sangue e hemocomponentes, retipagem das bolsas de doadores, tipagem dos pacientes receptores e as transfusões de sangue conforme determinação médica.

Para o trabalho, a equipe realiza cursos específicos que os capacitam para os serviços realizados na Agência Transfusional. “Além dos nossos treinamentos internos, eles participam de aperfeiçoamentos externos, para que assim, possamos atingir o objetivo principal da Agência Transfusional, que é de levar um atendimento de qualidade para cada paciente”, explica Fabiane.

Como funciona a Agência Transfusional

Dentro de um cronograma semanal, a Agência requisita ao Hemonúcleo de Piracicaba (SP) ou ao Hemocentro UniCamp em Campinas (SP) a quantidade necessária de bolsas de sangue e hemocomponentes. Este estoque, que é utilizado para atender a necessidade semanal da Santa Casa, tem sua quantidade determinada de acordo com a média de consumo analisada pelo setor, incluindo estoque para emergências e para transfusões já programadas.

Também são realizadas solicitações diárias em casos especiais, como bolsas de sangue para crianças ou hemocomponentes que possuem rápida validade, como as plaquetas, que vencem em cinco dias. “Não podemos ter um estoque onde corremos o risco de descartar uma bolsa por decurso de prazo”, comenta a gerente Fabiane.

Armazenamento das bolsas de sangue e hemocomponentes

Quando as bolsas chegam à Santa Casa de Araras, são devidamente registradas com o número e volume da bolsa, iniciais do doador, data da coleta e tipo sanguíneo. Após o registro, as bolsas são devidamente armazenadas.

A Agência recebe as requisições assinadas pelo médico responsável com todos os dados do paciente e seu diagnóstico para que seja realizada a transfusão. A partir daí, são realizados os testes necessários pré-transfusionais (pesquisa de anticorpos, compatibilidade etc) nas amostras de doador e receptor e, com os exames prontos, o profissional realiza a transfusão.

Transfusão segura

Entre as medidas tomadas pela Agência para garantir uma transfusão segura, está a relação completa de dados do paciente, preenchida na beira do leito pelo responsável que colhe a amostra, prepara e realiza a transfusão. “Dessa forma, o profissional viu o paciente, identificou a amostra, realizou os exames pré-transfusionais, e esse mesmo profissional voltou ao leito para transfundir o paciente. Todas as informações estarão sempre completas, tanto na requisição, na amostra do paciente quanto na bolsa armazenada”, finaliza a gerente Fabiane.

Por Assessoria de Comunicação e Marketing da Santa Casa de Araras
Jornalista Responsável: Camila Heloíse F. Lima – Mtb: 58.129/SP

Compartilhe essa notícia em suas redes sociais:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn